Filmes · Resenha de Filmes

Refúgio do Medo, com um toque de Edgar Allan Poe

O talento e o reconhecimento de Edgar Allan Poe com suas histórias de fantasia e terror são imensuráveis. O novo filme (não tão novo assim) baseado em um de seus contos tem um ótimo roteiro e produção. Refúgio do Medo é baseado no conto “O Sistema do Doutor Alcatrão e do Professor Pena”  de 1945.

Refúgio do Medo traz a história de um doutor que vai ao Manicômio Stonehearst para ter “experiência clinica”. Lá ele conhece Eliza (Kate Beckinsale) que é acusada de violentar o marido, mas apesar de estar no manicômio é a paciente mais sã. O jovem doutor logo descobre que os pacientes tomaram conta do hospital e que estão fingindo ser os médicos e enfermeiros, enquanto os verdadeiros estão presos no porão. O jovem doutor chamado Edward passa a tentar liberar os verdadeiros médicos e fugir para a cidade. O filme não é parado, os acontecimentos são muito rápidos e são justificados. Os lunáticos só tomam o hospital por que as práticas utilizadas pelos médicos são muito abusivas e ao invés de tratar o paciente, eles os enchiam de remédios, jogavam jatos de água no rosto, sedavam, utilizavam choques e diversas outras práticas que estavam mais para tortura. Não posso esquecer que a história se passa em meados do século XX, quando a medicina ainda não era avançada e eles usavam ainda tratamentos como a trepanação.

Obs.: Se você prestar muita atenção nos detalhes, o final não será tão surpreendente.

SPOILER

Quem já assistiu o filme sabe que o doutor Edward na verdade é um paciente do verdadeiro doutor Edward. O jovem manipulador e louco viu Eliza em uma aula que o verdadeiro dono do Manicômio Stonehearst está dando, na qual ele lavava alguns pacientes a aula para “exibir” aos alunos, inclusive ele. Desde então o jovem se apaixonou por ela e fugiu alegando ser um médico.

O mais legal  disso tudo é que o jovem suposto médico que era diagnosticado como louco conseguiu por em ordem o Manicômio, que depois dele aparecer passou a ser comandado por verdadeiros especialistas e os pacientes foram tratados de uma forma mais adequada. E mesmo sem ser um médico de verdade, o suposto Edward consegue resolver casos de pessoas que por muitos anos nenhum médico de verdade conseguiu.

IMPRESSÕES

O mais legal do filme é a critica ao mal tratamento dos pacientes e o fato de que os lunáticos (como são referidos no filme) devem ser inseridos na sociedade, pois é importante que eles sintam que não são diferentes e isso ajuda muito no tratamento deles. Isso vale não só para aquela época, mas também para a atualidade, é importante que independente da doença ou deficiência de uma pessoa  ela deve se sentir um cidadão como qualquer outro que contribui para o bem estar da sociedade inserida.

Eu estudei minha vida inteira com pessoas quase completamente cegas, deficit de atenção, deficit de aprendizado e síndrome de Down, uma coisa que aprendi foi que essas pessoas só não vão se tornar agressivas com seus colegas ou só vão melhorar no seu desenvolvimento quando ela conta com o apoio de todos, quando todos a aceitam ao invés de criticar, quando todos a olham como olham para qualquer outra pessoa ao invés de olhar de pena.

Ficha Técnica

Nome: Refúgio do Medo (Stornehearst Asylum)

Direção: Brad Anderson

Duração: 112 min

Genêro: Terror (nem tanto)

Nota: 10

Anúncios

Um comentário em “Refúgio do Medo, com um toque de Edgar Allan Poe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s